Uma senhora que trabalha como gari por muito pouco não foi atropelada por um veículo na noite desta terça-feira(25) na Avenida Orival Prazeres em Novo Progresso.

Segundo reportagem identificada como “Progresso ao vivo”, que esteve filmando no local e postou nas redes sociais, a denúncia é grave e importante. Conversamos com o grupo de trabalhadores, cerca de dez garis que varrem e recolhem a terra que acumulam nas beiras das avenidas centrais da cidade. O trabalho é realizado a noite, o risco de ser atropelado por carros e motos é eminente.

Os garis trabalham praticamente no meio da via,  sem EPIs, sem luvas, sem máscaras, sem coletes luminosos para trabalho noturno, sem placas de sinalização de “pessoas trabalhando”. Os carros e motos passam bem  próximos, alguns nem diminuem a velocidade.

“Realmente está muito difícil de trabalhar! Não está fácil trabalhar praticamente no escuro, queremos nossos direito, uma segurança só isso, nós dependemos muito desse trabalho mais precisamos chegar em casa com vida!  E assistência de material de trabalho também porque falta muito é 6 meses com uma vassoura que usamos todos os dias, dificulta muito.” Queixou-se uma das garis.

Um motorista que passava no local, parou para dar sua colaboração a reportagem: “Acho descabido o que a prefeitura faz com esse pessoal tão humilde, precisa muito desse dinheiro para seu sustento, fazem um trabalho importante para a cidade e são colocados em risco de vida todas as noites nestas avenidas. Sem sinalização, várias vezes a gente vê eles varrendo ai, quando já estamos chegando próximo, é um absurdo” disse ele.